Fusarium - Doenças da Soja

Fusarium ou Podridão vermelha da raiz (Fusarium brasiliense, F. tucumaniae, F. crassistipitatum)


Também conhecida como Síndrome da Morte Súbita, é uma das doenças mais preocupantes dentre as que ocorrem atualmente em soja no Brasil devido à sua dificuldade de controle. O dano varia entre 20% e 80%, dependendo da cultivar e do estádio de desenvolvimento da cultura no momento da infecção.


Sintomas

A PVR (podridão vermelha na raiz) induz o sintoma foliar típico de folha carijó, com manchas cloróticas e necróticas internevais e a região das nervuras permanece com coloração verde normal (ALMEIDA et al., 1997). Este sintoma é mais evidente próximo à fase de florescimento e pode progredir causando completa desfolha das plantas.

O sintoma de infecção na raiz inicia com uma mancha avermelhada, mais visível na raiz principal e geralmente localizada um a dois centímetros abaixo do nível do solo. Com a evolução da infecção, é observada uma expansão da lesão, que passa a circundar a raiz, assumindo coloração castanho-avermelhado escuro. A necrose situa-se no tecido cortical, enquanto o lenho da raiz adquire uma coloração castanho-clara, estendendo-se pelo tecido lenhoso da haste a vários centímetros acima do nível do solo. Na lesão, pode ser observada uma massa azulada de esporos do patógeno. Os sintomas foliares do Fusarium iniciam de duas a três semanas antes da floração estendo-se até o período de enchimento de grãos, quando normalmente é observada a morte da planta (RUPE & GBUR, 1995). Em plantas severamente afetadas, a desfolha ocorre prematuramente causando abortamento de vagens (ROY et al., 1989; RUPE, 1989; WRATHER et al., 1995; LUO et al., 1999).



Condições de desenvolvimento

A doença costuma aparecer próxima ao florescimento. Cultivares precoces tendem a sofrer menos danos. A podridão vermelha da raiz é mais severa em solos mal drenados e com problemas de compactação. A temperatura ótima para o seu desenvolvimento varia de 22 °C a 24 °C. Temperaturas superiores a 30°C limitam a expressão da doença.


Controle

Realização de rotação de culturas e descompactação do solo, além do uso de cultivares resistentes.

Comentário do Arculano, Coordenador de Campo aqui da Sementes Mutuca:


"Para nós não é um problema, justamente por termos uma rotação de cultura com Soja, Trigo, Milho e Feijão, que também ajudam na descompactação do solo e aumento de matéria orgânica."


Analisamos as raízes da BMX ZEUS IPRO para ver se havia a presença de Fusarium, dá uma olhada!


Referências:

1. http://www.scielo.br/pdf/cr/v34n4/a04v34n4.pdf

2. Manual de identificação de doenças de soja.pdf

3. Agrolink


16 visualizações0 comentário

Explore

Ajuda

Redes Sociais

Newsletter

Tel: (43) 3557-2600

Cel: (43) 98438-9902