Como controlar Antracnose (sem sintomas) na soja!

A Antracnose na soja é um grande problema nas lavouras do Brasil, uma vez que as suas consequências podem comprometer grande parte da produção.


A doença pode afetar a planta em qualquer fase de desenvolvimento, atingindo folha, hastes e vagens. Ela tem forte presença nas regiões tropicais do Brasil — para nós do sul, ela costuma aparecer especialmente nas estações mais chuvosas.


Sintomas

Pode causar morte de plântulas e manchas negras nas nervuras das folhas, hastes e vagens. Pode haver queda total das vagens ou deterioração das sementes, quando há atraso na colheita. As vagens infectadas nos estádios R3-R4 adquirem coloração castanho-escura a negra e ficam retorcidas; nas vagens com granação, as lesões iniciam-se por estrias de anasarca e evoluem para manchas negras. As partes infectadas geralmente apresentam várias pontuações negras que são as frutificações do fungo (acérvulos).


Condições de desenvolvimento

O desenvolvimento da antracnose acontece a partir de sementes, assim como de restos de cultura infectados, sendo que a disseminação é mais propensa no vento e em respingos de chuva. Porém, é mais frequente na fase de floração e no enchimento de grãos.

Em anos chuvosos e com temperaturas entre 18º e 25ºC, pode causar perda total da produção, mas, com maior frequência, causa redução do número de vagens, induzindo a planta à retenção foliar e à haste verde. Uso de sementes infectadas e deficiências nutricionais, principalmente de potássio, também contribuem para maior ocorrência da doença. Sementes oriundas de lavouras que sofreram atraso de colheita por causa de chuvas podem apresentar índices mais elevados de infecção. Se ocorrer no início do desenvolvimento da cultura, pode haver morte das plântulas.


Porém, a antracnose pode apresentar um padrão de desenvolvimento bem incomum: as plantas infectadas presentes nas sementes podem não apresentar sintomas visíveis. Dessa forma, o patógeno percorre o caule e atinge diretamente as vagens sem dar nenhuma pista. Podemos dizer que a antracnose caracteriza-se por sua natureza sistêmica e, eventualmente, assintomática.


Controle

Para evitar emoção excessiva durante o ciclo, recomenda-se o uso de sementes sadias (preferencialmente certificadas), tratamento industrial de semente, rotação de culturas com espécies não-hospedeiras do patógeno, espaçamento entre fileiras, e estandes que permitam bom arejamento da lavoura e manejo adequado do solo, principalmente com relação à adubação potássica.



E aí, tem mais alguma coisa sobre a Antracnose que você gostaria de saber? Comente aqui!


23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Explore

Ajuda

Redes Sociais

Newsletter

Tel: (43) 3557-2600

Cel: (43) 98438-9902