O Risco - ORS Destak

Em nosso planejamento deste inverno, decidimos semear o ORS Destak em 14/03/20, pois sabemos que é um material tolerante ao Brusone - e isso nos deixa mais tranquilos quanto às condições climáticas. Por essa "habilidade", temos a condição de realizar o plantio mais cedo para escaparmos das geadas de Julho.


Além da tolerância à Brusone, o ORS Destak mostrou-se resistente ao oídio em nossas experiências anteriores. Ainda, por ser moderadamente resistente às manchas foliares, a pressão de doenças é reduzida no plantio do cedo, resultando em plantas mais sadias e  num custo de tratamento por hectare bem abaixo do plantio em época normal.


A semeadura antecipada nos permite a colheita no final de julho, e realizamos o plantio do milho no início de setembro. Na segunda quinzena de janeiro, o milho é colhido e dá lugar ao feijão. É dessa forma que fechamos 3 safras no ano agrícola. Em 2 anos, são  5 safras produzindo palhada, grãos e sementes.


Com estas 3 safras, atingimos uma produtividade média de 19.500 kg/ha de grãos (trigo, milho, feijão). Dessa forma, além de diluir os riscos inerentes à própria produção agrícola, antecipamos também a geração de caixa e, muitas vezes, fechamos contratos com preços mais atrativos. Trigo em julho/agosto, milho em janeiro e feijão em maio, sempre antecipando.


Esse panejamento de rotação traz benefícios não só para o bolso, mas também para o sistema solo-planta. A variabilidade de culturas permite a manutenção dos atributos químicos, físicos e biológicos do solo, que não fica parado pela otimização das áreas de produção. Planejar-se de maneira adequada é produzir melhor, de maneira mais eficiente, e gerando maior rentabilidade.


A produtividade da cultivar ORS Destak foi de 4.375 kg/ha.

Colheita 06/08/2020


17 visualizações

Explore

Ajuda

Redes Sociais

Newsletter

Tel: (43) 3557-2600

Cel: (43) 98438-9902